Seja bem-vindo
Maceió,18/04/2024

  • A +
  • A -
Publicidade
Publicidade

Iteral e Seagri participam de homenagem aos 40 anos do MST na Assembleia Legislativa

Movimento de luta agrária fundado na década de 80 se transformou em uma das organizações sociais mais importantes do país

secom/AL
Iteral e Seagri participam de homenagem aos 40 anos do MST na Assembleia Legislativa Diretor-presidente do Iteral, Jaime Silva, participou da sessão pública e destacou a importância da reforma agrária. Foto: Dyego Barros / Ascom Iteral
Publicidade

A Assembleia Legislativa de Alagoas homenageou na última sexta-feira (1°), em sessão pública realizada no plenário, os 40 anos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). A iniciativa, proposta pelo deputado estadual Ronaldo Medeiros (PT), permitiu a celebração da trajetória de lutas da organização social, que atua para combater desigualdades e proporcionar aos homens e mulheres do campo uma vida mais digna, a partir da defesa da reforma agrária popular e do incentivo à agricultura familiar, enquanto um importante mecanismo de geração de emprego e renda nas zonas rurais e promoção da alimentação saudável.

O MST foi fundado em janeiro de 1984, na cidade de Cascavel, Paraná. Atualmente, o movimento está organizado em 24 estados, e conta com cerca de 450 mil famílias acampadas e assentadas. Representando o Governo do Estado na solenidade, o diretor-presidente do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral), Jaime Silva, parabenizou os trabalhadores presentes na ocasião, destacando a importância do alinhamento entre os governos estadual e federal para o impulsionamento da reforma agrária em Alagoas.

“Nós temos o privilégio de ter um governador que se identifica com a reforma agrária. Há 15 dias, estávamos em Brasília, ao lado de todo o secretariado, em uma agenda que incluiu uma série de compromissos estratégicos e, dentre eles, uma reunião no Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), com o ministro Paulo Teixeira”, acrescentou Jaime Silva, que há 12 anos está à frente da Autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura e Pecuária (Seagri). 

Com uma articulação conduzida pelo próprio governador Paulo Dantas, o Iteral busca agilizar a resolução de pautas consideradas históricas pelos movimentos sociais, trazendo o Incra Nacional e o MDA para a mesa de diálogo que tem por objetivo destravar a reforma agrária nas terras das usinas Laginha, em União dos Palmares, e Guaxuma, em Coruripe. Empresas do grupo João Lyra inseridas no maior processo falimentar do país.

Integrante da coordenação nacional do movimento, Débora Nunes agradeceu a homenagem e lembrou que a história do MST é feita de lutas contra o latifúndio improdutivo. “Um país com dimensões continentais como o nosso não pode admitir que existam milhões de brasileiros e brasileiras sem terra. Avançamos muito no sentido da democratização, é verdade, mas a estrutura fundiária do Brasil continua concentrada”, pontuou.




Também participaram da Sessão Pública o secretário executivo de Gestão Interna da Seagri, David Nunes, o desembargador do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), Tutmés Airan, e o secretário da Coordenadoria de Direitos Humanos do TJ-AL, Pedro Montenegro. Além de representantes de diferentes instituições ligadas ao campo e aos movimentos populares.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.